Agora, só no twitter...

    follow me on Twitter

    quinta-feira, dezembro 27, 2007

    Advertência...

    Fui passar o natal com a família em BH. BH... Na minha opinião, é uma cidade que devia ter um aviso sobre seus efeitos maléficos já na entrada.

    Bem-vindos a Belo Horizonte. Tenham uma boa estada
    O ministério da Saúde adverte: Belo Horizonte faz mal à saúde.

    Me dêem a licença de parafrasear o Peanut:

    O clima em BH? Quente como o inferno!
    O trânsito em BH? Uma tortura dos infernos!
    Os motoristas em BH? Nervosos pra diabo!
    A educação dos belorizontinos? A mesma de um demônio nervoso!
    Onde eu passei o natal? No inferno!!!

    É que, como tudo tem suas compensações, tanto a minha família como a da Ana são ótimas. Me lembrou até dessa musiquinha do South Park.

    sábado, dezembro 22, 2007

    O Selvagem Urbano

    Ana viajou, me deixando 3 dias sozinho em São Paulo.

    Como vocês devem saber, a ausência de esposa leva um homem rapidamente ao seu estado natural. Principalmente se isso se der nas suas férias. Nesse estado, o sexo masculino desata todos os laços sociais, reprime o superego e volta às suas origens selvagens, ocupando todo o seu tempo em: dormir, comer e bater punheta...
    Obviamente, a tecnologia auxiliou muito o ser dotado de pênis em horas como essas. A 30 anos atrás, um homem teria que sair de casa para chegar em seu estado primitivo, comendo no primeiro boteco copo-sujo que encontrasse e cheirando a bunda das mulheres, como um bom canino.
    Hoje, basta acordar depois das 18h, pedir uma pizza por telefone e ficar vendo putaria na Internet. Bendita tecnologia!

    Uma dica: o site mais sensual que encontrei nesses dias sem a Ana é o beautifulagony.com. O site tem o magnífico subtítulo de "Facettes de la petite mort".



    play windows media

    play quicktime

    beautifulagony.com




    Tem vídeos de mulheres - que em geral são editados para caber em 30 minutos - e vídeos de homens - de 12 segundos, em slowmotion.

    domingo, dezembro 16, 2007

    A legenda do monastério

    A CCJ acaba de proibir estrangeirismos no Brasil. Acho meio complicado tentar 'barrar' as modificações culturais através de decreto, principalmente em momentos como os atuais, em que as mudanças têm nos deixado sem palavreado.

    Muito mais que os estrangeirismos, as traduções têm me incomodado. E o Houaiss, rapidinho, aceita a todas, dando 'legitimidade' a elas.
    Na minha infância, por exemplo, mosteiro era mosteiro. Agora é monastério. Legenda, antes, era aquelas letrinhas com a tradução dos filmes. Agora é o mesmo que lenda.

    - Vou inicializar a legenda do monastério. - É o que vamos dizer ao começar a ler 'O nome da rosa'...

    PS: Pelo menos isso: a Folha Online tinha traduzido 'I am a legend' como 'Eu sou uma legenda". Mandei uma mensagem pra lá pedindo traduzir por 'lenda' e eles fizeram uma errata.

    sábado, dezembro 15, 2007


    Ecocárdio é um homem que nunca escuta o que diz seu coração: apesar de amar Matrimônica, casou-se com uma mulher de origem misteriosa, Jeni Alógica.
    Depois de 9 meses tranquilos e um parto normal, os dois tiveram um casal de gêmeos: Prematura e Cesário. Matrimônica, que ficou pra titia, batizou as crianças, junto com o irmão de Ecocárdio, Único.
    A família tem um cachorro, o Felino, e um peixe, o Aeróbio, e a vida deles seria bastante comum, se eu não resolvesse matar a todos em um naufrágio em Porto Seguro.

    (PS: esse post não tem nome por motivos óbvios...)

    quarta-feira, dezembro 05, 2007

    quinta-feira, novembro 29, 2007

    Scrap


    Perguntei ao meu pai: O que é 'Orkut'?

    Ele, sempre solícito, me explicou... E eu facilmente conclui:

    O Orkut é a mijadinha no poste dos humanos!

    Eu, agora, dei uma voltinha com minha mãe e deixei um scrap pra minha amiga Lina no canteirinho da vizinha...

    sábado, novembro 24, 2007

    Atuais

    O Orkut é mesmo uma maravilha. Permite ao cidadão encontrar velhos amigos, novos parceiros, comunidades fascistas e agora, acabo de descobrir, permite a atualização de sexo! Como bem mostra o print-screen abaixo...




    Obviamente, alguém que atualiza o sexo, também atualiza os interesses, certo?


    Fico me perguntando como funciona? Tou precisando dar uma atualizada no sexo, posto que ainda sigo o Kama Sutra... Meu sexo ainda é versão 1.00, ou ainda o.1.0 (porque o compridinho fica no meio...).


    Mas tenho medo. Com esses metrossexuais por aí, temo que a atualização envolva cera quente e coisas assim...



    Atualização: Aproveitando os print-screens, vejam que fofo meu banco do brasil!


    segunda-feira, novembro 12, 2007

    Casa das Feras

    A gente sempre tem uma amiga foda, que é só querer que vai ser um grande sucesso, né? É o caso da Márcia!


    Prestigiem que vale a pena!

    sábado, novembro 10, 2007

    Mandei mexer comigo?

    Eu tava quieto em casa. Estilo Rappa, me deixa que hoje eu tou de bobeira. Aí, meu pai resolve não confiar mais na minha língua, com a qual eu me banho todo dia e resolve cortar meus dreads locks que eu vinha cultivando nos últimos meses.
    Me pegou no colo, coisa que eu não suporto, me enfiou no carro, junto com a minha mãe e com meu irmão Quindim e me levou prum shopping! Eu aguento ir pra shopping? Eu mereço?
    E eu só olhando pra ele com meu olhar Virgínia Rosa, quero estar só, nem me olho no espelho pra não me ver acompanhado.
    Aí, ele entra no Pet Shop e fica lá, me exibindo. Junta rodinha (que é que eu posso fazer se sou gostoso?) de dondoca gritando "Gato lindo". Todo mundo passando a mão e eu já no Caetano, Me larga, não enche, perua, piranha!
    Não tive dúvidas: quando a rodinha tava bem lotada e meu pai com aquela cara de orgulhoso... Caguei-lhe inteiro!

    Billy Blanco: Mais alto o coqueiro, maior é o tombo do coco...

    sexta-feira, novembro 02, 2007

    Idade Média

    Pois é. 36 anos. Hoje eu faço 36 anos. De acordo com os astrólogos, acabou o retorno de saturno. Ele apareceu aqui em casa quando eu fiz 28, se instalou, comeu da minha comida, abusou do meu cachorro, dormiu na minha cama, passou a mão na minha bunda e, enfim, parece que tá indo embora! Já não era sem tempo.
    Enfim, isso significa que eu entrei na meia idade. Mas tou percebendo que é algo mais próximo da Idade Média: tou ficando religioso e feudalista! Se um padre quiser me queimar na fogueira, tou achando normal! Até porque, que outro interesse teria um padre com um homem de mais de 12 anos??
    Pra comemorar? Vou comer um bolo sem nenhuma gordura (por causa do colesterol), sem nenhum açúcar (por causa da glicose) e sem nenhuma graça!...
    O que me salva é que o maior presente eu já ganhei. Apesar da entrega ser só em abril...

    quinta-feira, novembro 01, 2007

    Meme

    "Sorte - e previdência - ter telefonado para Carmem antes de sairmos do hotel."
    Um caminho suave, de Maria Cecílica Vicente de Azevedo.

    Fui convocado pra participar desse meme pela Liliane, do Andor de Nada


    A idéia é:
    1. Pegar um livro próximo (PRÓXIMO, não procure);
    2. Abrir na página 161;
    3. Procurar a 5ª frase completa;
    4. Postar essa frase em seu blog;
    5. Não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
    6. Repassar para outros 5 blogs.

    Repasso para:
    Cruela e Persona

    Kafé Roceiro
    Márcia
    e Charles

    terça-feira, outubro 30, 2007

    Acadêmicas

    O maior dilema da Escola Superior de Assassinos e Psicopatas é se os alunos devem ou não matar aulas...

    segunda-feira, outubro 29, 2007

    Esquerdas

    A verdade é que a esquerda acabou, no Brasil. Hoje temos a direita, o centro-direita, o centro e o mais centro ainda. E é isso.
    Dizem que o Lula estava andando em Brasília, um dia desses, e um transeunte perguntou para ele:
    - Onde fica o Ministério da Saúde?
    Lula indicou uma direção e disse:
    - Você segue por aqui, vira a primeira a direita, depois a primeira a direita de novo e logo em seguida a primeira a direita...
    O homem pensou, pensou, e perguntou:
    - Ué? Então não é mais fácil ir para o outro lado e seguir à esquerda?
    E o Lula:
    - Nem pense nisso, companheiro! PelamordeDeus, nem pense nisso!!!

    A força faz a união...

    O que faz com que um país seja mais poderoso que os outros? A maioria dos puxa-sacos vai dizer: a inteligência! São os países mais evoluídos, aqueles que conseguem realizar mais!
    Aparentemente, essas pessoas não se lembram do colégio. Quem mandava na sua turma, no pré-primário? Era aquele sujeito que já tinha tomado duas bombas, aos 6 anos de idade. Não dá pra dizer que ele fosse um cara esperto, mas os puxa-saco vão dizer: ele tinha mais experiência de vida!...
    O que ele tinha mesmo era dois anos a mais de desenvolvimento muscular! E, se você não se lembra disso, leia as estórias do Moe, no Calvin e Haroldo...

    De qualquer forma, pense bem: se você quiser admitir que um país pode dominar outros porque é mais evoluído, você vai ter que admitir que fomos dominados pelos portugueses porque eles eram mais espertos! E aí? Vc tá pronto pra admitir isso? Hein??? Hein???

    terça-feira, outubro 16, 2007

    Psicossocial.com.br

    Olá, amigos e amigas,

    Tou com um projeto novo, online: é o psicossocial.com.br. A idéia do site é ser um local de discussão das teorias e práticas da Psicologia Social. Ou seja, um site sério, pela primeira vez na vida...

    sábado, outubro 13, 2007

    10 cifras (ou 10 voros-te)

    Os melhores objetos para se ler o futuro são, nesta ordem: ovo & dente.

    O enigma que todo ex-marido quer desvendar: sua ex finge?

    e, para terminar, um clássico:
    Se a letra F é igual a todas as outras, por que é que anunciam nas rádios: F é mistério?


    domingo, outubro 07, 2007

    Um novo mundo...

    Você tem se perguntado: por que os AnGus não vêm mais aqui? Terão eles abandonado a blogosfera por alguma decepção?
    Nada disso. O motivo do nosso sumiço é o melhor possível!!!

    sexta-feira, agosto 31, 2007

    Frango de Blusinha

    - Conhece? - perguntou uma amiga...

    Frango de Blusinha
    Descrição
    Cubinhos de coxa empanados e assados, salpicados de parmesão. Acompanha arroz com cenoura e feijão preto.
    Valores Nutricionais
    Prato Normal Prato Jumbo
    Calorias : 348 Kcal - 1483 kJ
    Carboidratos : 42 g
    Proteínas : 22 g
    Gordura Total : 11 g
    Gordura Saturada : 3,5 g
    Gordura Trans : 0 g
    Gordura Monoinsaturadas : 4 g
    Gordura Poliinsaturadas : 2 g
    Colesterol : 54 mg
    Fibras : 5,9 g
    Cálcio : 86 mg
    Ferro : 3,6 mg
    Sódio : 1109 mg
    Peso Líquido : 0 gr (1 unidade)
    Peso Total da embalagem :310 g
    Ingredientes
    coxa de frango, arroz agulhinha, cebola, feijão preto, cenoura, farinha de rosca, azeite, alho, , parmesão, sal, pimentão verm., , tofu defumado (cubinhos), cheiro verde, alho poró, alecrim, tomilho, louro. CONTÉM GLÚTEN.


    Respondi:
    - Frango de blusinha, conheço não. Mas conheço peru de camisinha... Serve?

    segunda-feira, agosto 27, 2007

    Lacaniana


    Vejam só que coisa: Sempre tratei o meu irmão Quindim como se fosse meu brinquedinho e agora descubro o quê? Que ele é um poodle toy! Hahahahahahahahahahahahahahahaha

    domingo, agosto 19, 2007

    Mensagem otimista!

    "Sonhei que meus dentes eram peludos como Yorkshires... De tempos em tempos, eu os levava ao cabeleireiro...", contou o homem, enquanto comia manga, provando, assim, que sonhos podem se tornar realidade!

    sexta-feira, julho 20, 2007

    Gatos e Poesia


    Sou notívaga como meu gato.
    À noite, enquanto meu marido dorme,
    brincamos juntos e lemos poesia.
    Às vezes, tomo vinho ou chá e
    ele pede água pra me acompanhar.
    Hoje fiquei lendo Alberto Caeiro e
    ele se pôs a meditar.
    Subiu na TV e lá ficou horas, sentado,
    olhando para o nada, como se ali
    estivesse contido o Universo inteiro
    narrado pelo poeta.
    Adoro meu cachorro, mas é o meu gato
    que entende os versos do Fernando Pessoa.

    quinta-feira, julho 12, 2007

    Trava-línguas linguístico


    Francês, em português, é francês. Em francês, é français.
    English é inglês em inglês. Mas em português, inglês é inglês.
    Em português, tupi é tupi. Como será, em tupi, tupi?

    sexta-feira, julho 06, 2007

    A Maldade Feminina

    No supermercado, comprando xampu (que homem normalmente compra xampu no supermercado) e perplexo frente à quantidade extraordinária de tipos - para cabelos tintos; para cabelos preto-escuro (tem preto claro?); para cabelos que tomam sol; para cabelos oleoso de dia, normais à noite e secos nos fins de semana... - peço ajuda à Ana para tomar uma decisão:
    - Amor, meu cabelo é oleoso na raiz e seco nas pontas?
    - Não, Gu. Você não tem mais 'pontas' de cabelo há um bom tempo... Mas seu coro cabeludo é oleoso...

    Como arde a maldade feminina...

    quinta-feira, julho 05, 2007

    Rapidinho

    Acho que o maior problema da literatura é que as pessoas têm preferido fazer o caminho de Santiago ao caminho de Swan...

    Acabei de ler o livro/blog de Verônica Stigger e concluo da leitura que está na moda a rapidez: escrever rápido; publicar rápido; ler rápido. Quem tem tempo pra ler três vezes cada frase pra entender o que está sendo dito?
    Não à toa, nosso campeão de best-sellers é Coelho...

    quinta-feira, junho 21, 2007

    Mais duas pequenas lições de física aplicadas ao cotidiano

    Diálogo que comprova a relação entre distância e tempo:

    - Filho, pega o jornal pra mim?

    - Ô, pai, eu tou na cozinha! O jornal taí a dois passos de você!

    - Ah, mas você é mais jovem!...



    Velocidade e massa

    Quanto mais veloz um objeto, maior fica sua massa. É por isso que você consegue passar devagar entre dois carros estacionados, sem nenhum problema, mas se tenta passar correndo, acaba com o tornozelo roxo...

    terça-feira, junho 19, 2007

    Versos guardados



    Tenho o estranho hábito de colecionar agendas.
    Vários anos guardados na minha estante de madeira.
    Abrir uma delas é sempre um presente
    Que me faz lembrar de um fato passado.
    Eu tenho mania de copiar versos de poetas que eu gosto
    Logo na primeira página:

    "Amor é a coisa mais alegre
    Amor é a coisa mais triste
    Amor é coisa que mais quero".

    Esses versos da Adélia Prado abriram o ano de 2003.
    Em 2007, o poema que abriu a agenda foi Ausência,
    de Carlos Drummond de Andrade:

    "Não há falta na ausência.
    A ausência é um estar em mim".

    Os versos de 2008 ainda são uma incógnita.
    Fazem parte deste baú repleto de possibilidades
    A que chamam de futuro.

    sábado, junho 02, 2007

    1001 golins dágua, 10ª visita

    Enfim, a pomba voltou a me fazer uma visita. Explicou-se que demorou por causa do frio: ficou embaixo do cobertor por dois dias seguidos, sem coragem de colocar os pézinhos pra fora da cama.
    Mas tomou seu golim dágua e continuou contando:
    Então, o homem continuou sua história:


    Eu tinha certeza que havia um marinheiro no banheiro com minha esposa! Enlouquecido, arrombei a porta! Ela estava sozinha. Dava descarga desesperadamente. Um cheiro horrível atingiu minhas narinas assim que eu entrei. Dei um passo para trás e ela, enfim se dando conta de que eu havia entrado, correu em minha direção e, com as mãos em meu peito, me empurrou para fora do banheiro.

    Atordoado pelo cheiro, cambaleei de costas, indo parar no corredor.
    Minha esposa chorava de vergonha e gritava: "O que você veio fazer em casa tão cedo???"

    Eu a abracei, pedindo que se acalmasse e me explicasse o que estava acontecendo. Ela me contou que, no café da manhã, comia bastante fibra, para que seu intestino funcionasse bem. Era o segredo de seu corpo bem torneado e de sua pele macia. No entanto, no meio da tarde, ela sempre ia ao banheiro e dava uma bela desopilada... Normalmente era tão grande que custava a descer.

    Acontecera de novo, pensei comigo mesmo. Uma daquelas coincidências inexplicáveis. O submarino estava ali, no meu banheiro. Estiquei a cabeça por cima do ombro de minha esposa e - pasmo - afirmei:
    - Argh, daqui eu posso ver o periscópio acima da água!

    Desde então, ela não me deixa entrar em casa...

    É por isso, concluiu a pomba, antes de alçar vôo, que homens casados e submarinos não combinam...

    segunda-feira, maio 28, 2007

    AVISO AOS NAVEGANTES


    Somos pagãos, anarquistas, poetas e libertários!
    Por isso, decidimos acabar com a obrigação moral, que nós mesmos inventamos, de ter que escrever no blog 4 vezes por semana.
    A partir de agora, só vamos escrever quando tivermos vontade ou tivermos algo a dizer.
    Afinal, a verdadeira escrita é um ato de espontaneidade.
    O blog continuará, com seus 4 escritores: Ana, Gu, Quindim e Jubileu.
    E cada um escreverá o que quiser e quando bem quiser!
    Queremos tornar esse espaço um lugar de prazer, muito mais do que de dever.
    Então, até as próximas viagens literárias!

    quinta-feira, maio 24, 2007

    Pausa para nossos comerciais


    A Angu Corporation e Almaration apresenta seu mais novo site de comércio eletrônico:




    Lá, você pode comprar seu filho à vista ou em 9 vezes sem juros. Você encomenda o bebê e, a cada mês, mandamos para você uma barriga de enchimento para você simular a gravidez. Mas você não precisa passar pela dor do parto! O bebê é entregue em sua casa, na data que você preferir, e com garantia* pela vida inteira!


    *1. Caso haja defeitos na criança, conforme descrito em 2, os pais receberão todo o dinheiro que investiram de volta, em dobro. 2. A garantia cobre apenas os desvios de caráter do tipo sociopáticos que levem a criança a assassinar todos os parentes. 2. No caso de nenhum parente reclamar a devolução no prazo de 1 ano após o assassinato do último parente, a Angu Corporation e Almaration reserva-se o direito de suspender a garantia.


    Escolha o modelo de criança que quiser: afro, asiático, europeu. Nosso harém de escravas sexuais é bastante variado para atender qualquer demanda!


    www.9meses.bb. O único site de venda de crianças no qual o entregador vai vestido de cegonha! Não perca mais nenhum minuto e realize o sonho de sua mãe: ter um neto!


    Mais um empreendimento Angu Corporation & Almaration: fazendo tudo dentro ou fora da lei para que os donos sejam cada vez mais ricos! (tá, pelo menos a gente não engana ninguém com aquele papo politicamente correto...)

    quarta-feira, maio 23, 2007

    Sonhos esquisitos...


    O dia de hoje foi, no mínimo, estranho...
    Meu pai teve um sonho que, minutos depois, se tornou a mais pura realidade.
    E, enquanto eu fazia xixi na cozinha e levava uma bronca enorme dele, minha mãe sonhou que estava fazendo xixi e acordou inteira molhada, sem entender nada!
    Isto só prova que sonho com fé, verdade é!

    segunda-feira, maio 21, 2007

    1001 golins dágua, 9ª visita


    A pomba voltou, tomou seu golinho e continuou:
    Então o homem casado há muito tempo contou ao recém-casado:

    Entrei em casa temoroso. O elefante não estava na sala. Chamei minha esposa repetidas vezes, o que pareceu enlouquecer o elefante, que bramia ininterruptamente! Escondi-me na cozinha e percebi que o bramido vinha do banheiro. Pensando bem, eu reconhecia o som. Era a descarga da privada.
    Ela havia, obviamente, disparado.
    Fui até lá e bati na porta:
    "Amor?"
    Havia um nervosismo na voz de minha esposa que me incomodou. Sua resposta foi:
    "Mas o que você está fazendo em casa tão cedo?"
    E mais uma vez, pude ouvir a descarga.
    "Me deixa entrar e olhar essa descarga que disparou?"
    "Não!", ela gritou, "vá chamar o zelador".

    Ora, minha mulher não é ninguém de se jogar fora. Nesse momento, passei a ter um ciúmes doentio. Ela estava com alguém no banheiro. E a privada não tinha disparado: eles provavelmente estavam tentando se livrar das evidências. Camisinhas com sabor de pêssego e textura na ponta, óleos de massagem e calcinhas de oncinha, tudo se recusando a descer pelo cano da privada!
    E ela queria que eu fosse chamar o zelador para que o marinheiro pudesse fugir, é óbvio!
    Esmurrei a porta com força! Eu podia sentir o cheiro do suor com sexo e água salgada que se desprendia dos corpos dos dois e atravessava as frestas da porta, chegando às minhas narinas dilatadas pela raiva. Era mesmo um marinheiro, mas não um comum: era um desses seres rastejantes que vivem nas salas de máquinas dos submarinos!

    E agora ele estava nu, no meu banheiro, com a minha esposa!

    Então uma chuva grossa espantou a pomba, forçando-me a esperar mais uma semana para saber o fim da história...

    domingo, maio 20, 2007

    Tempo da Travessia


    "Há um tempo em que é preciso
    abandonar as roupas usadas,
    que já têm a forma do nosso corpo,
    e esquecer os nossos caminhos,
    que nos levam sempre
    aos mesmos lugares.
    É o tempo da travessia;
    e se não ousarmos fazê-la,
    teremos ficado, para sempre,
    à margem de nós mesmos".

    (Fernando Pessoa, in Vida Simples, edição 53, p. 69)

    sexta-feira, maio 18, 2007

    Condensado...

    Querem uma aula de física? Lá vai: quando um corpo sólido passa para estado líquido, seu volume diminui. Meu salário, por exemplo: líquido, é 16% menor do que bruto!

    Mas o que eu acho pior mesmo é que ele entra líquido na minha conta e passa imediatamente pro estado gasoso: evapora!...

    terça-feira, maio 15, 2007

    Filosofia de Clarice para cães


    Eu tenho a vida que minha mãe pediu a Deus.
    Como quando tenho fome (ou quando me dão comida).
    Durmo na hora que tenho sono.
    Brinco quando quero brincar.
    Fico sem fazer nada quando não tenho nada pra fazer...
    Ninguém exige que eu faça mestrado, doutorado, especialização, cursos em outras línguas.
    Não há cobrança para que eu case, tenha filhos, compre um carro, um imóvel.
    Não preciso procurar emprego, pensar em estabilidade, aposentadoria.
    Não tenho que decidir onde vou aplicar o dinheiro, que contas vou pagar, em que político votar.
    Não fico por aí filosofando, perguntando qual é o sentido da vida, se sou feliz ou não.
    No fundo, os humanos invejam essa imensa liberdade de não-ser que é própria dos seres da minha espécie.
    Clarice Lispector uma vez questionou: "Por que o cão é tão livre?". A resposta, dada por ela mesma, veio certeira: "Porque ele é o mistério vivo que não se indaga".
    Grande sábia, essa mulher.

    segunda-feira, maio 14, 2007

    1001 golins dágua, 8ª visita

    A pomba apareceu, de novo, sem a pena encravada e se sentindo bem melhor (obviamente, o plano de saúde dela não era Unimed...). Tomou seu golinho, como sempre, e contou:

    Então, o rapaz casado há tempos contou:

    Foi um bom começo de dia: a sogra do meu patrão morreu e fomos liberados do trabalho mais cedo, pois ele queria compartilhar a alegria dele conosco. Assim, ao invés de sair do trabalho às 18h, saímos às 15h.
    No elevador, eu assobiava 'o passo do elefantinho'. Ao sair, notei um som estranho que vinha de dentro do apartamento. Do meu apartamento! Era uma espécie de bramido e fiquei com medo de ter evocado um elefante com meu assobio.
    Parece ridículo, eu sei, mas já aconteceu antes comigo. Uma vez, cantei "entre tapas e beijos" para uma garota numa boate punk e levei um tapa. Outra vez, mijei num poste enquanto cantava "Eu não sou cachorro, não".
    Disso para aparecer um elefante na sala de estar não devia estar muito longe, pensei. É claro, eu tinha tomado 2 ou 3 cervejas oferecidas na comemoração do patrão...
    Achei que minha esposa ia brigar comigo ao descobrir que o elefante tinha sujado o carpete. Mas a vida sempre supera a imaginação: o que me esperava era bem pior!

    Mas aí, minha mãe colocou minha ração e eu fui comer, dizendo à pomba: volta depois pra terminar, ok?

    sábado, maio 12, 2007

    CANÇÃO DA MIRADA SECRETA


    "Foram-se os amores que tive
    ou me tiveram. Partiram
    num cortejo silencioso e iluminado.
    A solidão me ensina
    a não acreditar na morte
    nem demais na vida: cultivo
    segredos num jardim
    onde estamos eu, os sonhos idos,
    os velhos amores e os seus recados,
    e os olhos deles que ainda brilham
    como pedras de cor entre as raízes".

    (Lya Luft, in Secreta Mirada)

    quinta-feira, maio 10, 2007

    Diaconal

    O bispo, aquela manhã, levantou e se encaminhou para a porta, mas acabou trombando na parede lateral do quarto. Espantado, percebeu que só conseguia se mexer na diagonal. Virou-se para a cama e tentou andar em linha reta até lá, mas terminou chegando à janela. Olhou para fora e viu os peões na obra em frente, trabalhando devagar, passo a passo, e dois cavalos da polícia que pareciam ter soluço: a cada três passos, davam um pulo para o lado.
    Com muito esforço e cálculo, chegou à porta e saiu do quarto, dando de cara com a rainha, que vinha correndo em linha reta.
    Não teve dúvidas: comeu a rapariga.

    E terminou no xadrez...

    terça-feira, maio 08, 2007

    Coça daqui, coça de lá, o negócio é se coçar!


    Minha mãe já tentou de tudo. Comprou diversos remédios contra pulgas, me levou no pet shop pruma sessão especial de banho e tosa e, por fim, ela mesma me deu um banho em casa, com sabonete Dove, pra ver se a minha coceira parava. E nada adiantou...
    Acho que ela não percebeu ainda que eu gosto mesmo é de me coçar. Além de ser uma prática deliciosa para os espécimes da minha raça, acabo chamando a atenção dela, que logo vem me fazer um carinho.
    Não sei por que ela odeia tanto as minhas pulguinhas. Eu já me apeguei a elas e dei, pra cada uma, um nome diferente e um lugar determinado pra morar no meu corpinho. Todo bicho que se preza tem uma coleção de pulgas, ainda que pequena.
    Outro dia eu estava assistindo ao DVD do show da Adriana Partimpim e ouvi uma música que ela fez em parceria com o poeta Ferreira Gullar. A música conta a estória do gatinho dele, que também se coça o tempo todo, pois tem umas pulgas de estimação, assim como eu. O poeta já tentou de tudo pra eliminar as pulgas e, por fim, desistiu.
    Ora, ora, será que minha mãe tá se achando uma heroína???
    Se nem o Ferreira Gullar conseguiu eliminar as pulgas do seu gatinho, não será ela, uma simples poeta mortal e desconhecida, que vai acabar com as minhas amiguinhas!
    PS: qualquer semelhança do poodle da foto comigo é mera coincidência!

    1001 golins dágua, 7ª visita

    Passou-se mais uma semana e a pomba voltou. Não falou muito, dessa vez, porque estava com uma pena encravada no rabo e não conseguia ficar sentada direito. Mas, depois do golinho de sempre, me contou:

    O recém-casado contou:


    Eu ouvia perfeitamente a casquinha de feijão me chamando do copo. Em minha cabeça, ela era tão grande que não podia caber no copo. Era um submarino ao léu, rodando de lá para cá, disposto a conhecer minha garganta.
    Eu continuava engasgado e, a essa altura, parara de respirar. Então, numa decisão repentina, tomei todo o conteúdo do copo!
    O que me impeliu àquilo foi a vergonha. Eu não podia explicar pra minha esposa que estava com nojo daquele feijão. Eu não podia quebrar a magia de nosso casamento. Coloquei o copo na mesa com um movimento enérgico, abri os olhos e a encarei.
    Sua expressão era do mais profundo asco.
    "Tinha alguma coisa nojenta no copo que você bebeu", ela disse.
    Desde então, ela não quer me beijar. Já escovei os dentes, já bochechei com listerine, até alcool gel eu passei na boca. Mas ela não consegue se esquecer do submarino...

    Ora, disse o homem casado há anos, isso não é nada, comparado à minha história!

    E então, não suportando a dor nas penas da cauda, a pomba voou, prometendo voltar para contar a outra história.

    sexta-feira, maio 04, 2007

    Ditado Filosófico






    O filósofo é uma criança que cresceu e continua perguntando por quê!

    quinta-feira, maio 03, 2007

    Casei-me com uma borboleta...

    Eu a conheci saindo do casulo, as asas ainda molhadas. No começo, achei estranho seus mil olhares e me incomodava a forma com que suas asas farfalhavam. Mas fui observando ela começar a voar, alçar os céus, lutar pela própria vida nas teias de aranha e, a cada dia, fiquei mais e mais emocionado com sua beleza.


    Hoje faz três anos que estamos juntos e eu posso dizer: não há nada mais gostoso do que sonhar coberto por suas asas.


    Te amo, minha anjinha!

    terça-feira, maio 01, 2007

    Dia do Trabalho...


    Nome estranho prum dia em que ninguém trabalha. Não seria melhor chamar de Dia do Descanso ou do Não-Trabalho? Esses humanos são uns seres esquisitos mesmo...
    Eu defendo o "não-trabalho" no dia 1º de Maio. Aliás, em todos os dias do ano. Nunca fui um grande defensor da máxima segundo a qual "o trabalho dignifica o homem". Pra mim, o trabalho cansa o homem, isso sim!
    Nada de trabalho árduo ou hercúleo. Hércules e seus seguidores que se explodam e vão fazer seus Doze Trabalhos em outro planeta! Ou melhor, que fiquem escondidos e restritos aos livros de Mitologia Grega.
    Prefiro ficar aqui na Terra e bem longe da Grécia, sendo apenas um preguiçoso cachorro de madame.
    Ai que preguiça! Não sei nem por que fui escrever esse maldito post.

    segunda-feira, abril 30, 2007

    1001 golins dágua, 6ª visita

    Uma semana depois, me reaparece a pomba. Tomou seu golinho, sentou-se sonhadora na janela e contou: o jovem recém-casado, depois de cantar o amor por sua esposa, depara-se com uma sorridente pele de feijão grudada em seu dente, durante o almoço. O rapaz continua a contar:

    Entrei num choque, acho que compreensível. Foi como ver a primeira gota escorrer pelo nariz de cenoura de um homem de neve carinhosamente construído, fustigado pelo sol do meio-dia. Tive, ao mesmo tempo, nojo e culpa e esses sentimentos entraram num violento conflito, que disfarcei prestando bastante atenção na salada. E continuamos comendo.
    Minha razão foi ganhando terreno. Eu beijava aquela boca várias vezes por dia. Eu colocava minha língua em outros lugares bem menos... bem... visíveis. Eu vinha saboreando cada gosto de cada pedaço daquela mulher. E não seria um pedaço de feijão que venceria a pureza de nosso amor.
    Tomei coragem de olhá-la novamente. Respirei fundo e...
    Uma folhinha de orégano entrou pela minha traquéia.
    Comecei a tossir e busquei, com a mão, o copo d'água. Estava com ela. Peguei-o de sua mão e um calafrio me cortou a espinha. E fora eu mesmo, diabos, que havia sugerido tão romanticamente que usássemos o mesmo copo...
    Agora eu não conseguia olhar para o copo nem para ela. O orégano gargalhava em minha garganta. Reunindo coragem, eu a encarei e - coisa inconcebível a poucos segundos atrás - desejei ver o feijão ainda em seu dente. Foram segundos tensos até que ela disse: "O que foi? Melhorou?"
    Foi o suficiente... O feijão não estava mais lá...
    Estou certo de tê-lo ouvido fazer "pssst", de dentro do copo...

    E, mais uma vez, assustada por um barulho qualquer, a pomba se lançou no espaço, prometendo terminar a história em breve.

    sexta-feira, abril 27, 2007

    O Sentido da Vida


    É uma seta
    É uma meta
    É uma rua
    Sem saída

    É o sexto sentido
    É a 5ª Avenida
    É o quarto fechado
    Uma lápide fria

    É um sentido nenhum.

    Trocadilhos infames


    A Ana me disse que teve um dia bão! Respondi que eu tive um dia binho...

    -------

    A disciplina preferida dos cíclopes é a semiótica, enquanto os descabeçados preferem a semmiologia...

    terça-feira, abril 24, 2007

    Papo estranho...


    Ontem à noite escutei meu pai e minha mãe tenho um papo pra lá de estranho...
    Ouvi minha mãe dizer algo como "tentar engravidar" nos próximos meses e meu pai ficou estupefacto.
    O que é essa tal de "gravidez", meu Deus? Será uma missão suicida? Será que vou perder minha mãezinha querida? Alguém pode me explicar?
    Depois do "papo" com ele, ela veio conversar comigo: "vamos ter outro filhote, seu pai e eu, mas não vamos deixar de amar você, viu"? Não entedi nada. Só espero que eles não me venham com outro gato, pois o Jubileu já é chato o suficiente. Agora, se for outro poodle, uma fêmea pretinha de preferência, até que eu vou gostar...

    1001 golins dágua, 5ª visita

    Mais um golim, e a pomba continuou:
    O recém-casado, balbuciando, contou:

    O submarino do recém-casado

    A vida de recém-casado é simplesmente fabulosa. Essa estranha sensação de possuir um segredo que se descortina diariamente: a forma com que ela deixa a toalha depois do banho - pendurada no cabide? jogada no chão do banheiro? não, em cima da cama! - como ela coloca o papel higiênico - com a ponta saindo por cima ou por baixo?
    Esses pequenos segredos são meus, à medida que eu os desvendo, mas não me pertencem, pois são dela. E o prazer de descobri-los só é comparável com a primeira vez que vi o bico de seu seio ou descobri como depilava a virilha.
    Mas, além dos pequenos segredos, também existe a sensação de compartilhamento do começo do casamento. No começo do namoro, dividimos pequenas contas mas, com o casamento, a fusão aumenta: ela passa a usar minhas camisetas para dormir e como eu ri ao vê-la arrastando os pés em minhas sandálias franciscanas.
    Sentado na mesa do almoço, hoje, mais cedo, eu pensava exatamente nisso: na delícia de estar a cada instante enfrentando uma novidade. E eu pensei que nada, absolutamente nenhuma surpresa que viesse daquela mulher com o roupão aberto, à minha frente, poderia ser desagradável.
    Olhei para ela e, embalado por esses pensamentos, sorri.
    Ela sorriu de volta.
    Colado ao seu canino direito, uma casca de feijão também sorria.

    Mas meu pai abriu a porta do quarto, e a pomba, assustada, voou mais uma vez, gritando que voltaria em breve para contar o resto da história.

    sexta-feira, abril 20, 2007

    Espólios Literários


    Ontem fiquei emocionada ao saber que uma amiga querida, que faz Doutorado em Literatura Portuguesa, achou uma carta inédita escrita pelo Fernando Pessoa, no espólio do escritor. Para ela, que está fazendo pesquisa em Portugal, isso é o mesmo que encontrar um tesouro perdido! O fato me fez lembrar que eu também havia achado um poema inédito - e lindo - do meu pai, no "espólio" dele. Foi uma espécie de arqueologia literária: decifrei a letra do meu pai, busquei o sentido das palavras, tentei entender aquelas que faltavam... Eu, do outro lado do Oceano Atlântico, descobri essa jóia no Brasil:

    "Nos teus olhos vou pintar a madrugada
    No teu beijo um vermelho pôr-do-sol
    Do sorriso vou compor uma balada
    Dos cabelos uma suíte em si bemol.

    E assim feita de mentira e melodia
    Você linda de verdade fugirá
    Como a ninfa de outro sonho, de outro dia
    A beleza desta noite levará.

    E as migalhas de sorrisos derramadas
    Em passagens que o destino não cantou
    Serão tristes alegrias transformadas
    Destas lágrimas que alguém jamais chorou.

    A noite se esconderá
    Numa estrela que não se vê
    Minha paisagem será
    Madrugada sem você".

    (Antônio Venceslau Marra
    * 28/09/1934 - † 26/08/2006)

    quinta-feira, abril 19, 2007

    Inimigos

    Em minha vida, sempre tive um inimigo: meu próprio corpo! Para me consolar de ter que conviver com essa afronta, encontrei dois fortes amigos: o açúcar e a gordura. Agora, meu médico me diz que eu entendi ao contrário: o corpo é o meu amigo e o açúcar e a gordura são os verdadeiros inimigos.

    Não tive opção: agora, os médicos também são meus inimigos!!!

    terça-feira, abril 17, 2007

    Cão coprófilo, mãe esquizofrênica!

    Se eu não sou um cãozinho só, pois tenho um lado doce e delicado e outro agressivo e coprófilo, minha mãe, então, é no mínimo três. Moram dentro dela o Gandhi, o Lamarca e a Coco Chanel. Eles convivem bem, na medida do possível, e adoram fazer seminários pra discutir o 'Papel do Feminino na Sociedade'.
    Meu pai reclama do Lamarca e não entende muito a Coco Chanel. Assim como ele, eu também gosto mais quando o Gandhi prevalece. Ela fica na paz, super tranqüila, numa onda de não-violência e me ama incondicionalmente, mesmo quando estou sujo ou comendo cocô do meu irmão.
    Na hora em que o Lamarca aparece é um deus-nos-acuda! Eu corro e me escondo debaixo da mesa, pois sei que lá vem bronca pesada.
    Mas chato mesmo é quando é dia da Coco Chanel. Eita mulher fresca da porra! Quer me levar pro Pet Shop pra fazer banho e tosa, passar perfume francês, cortar minhas unhas, pentear meus cabelos e colocar gravata. Chanel e seus malditos hábitos burgueses! Depois que viu o filme "Maria Antonieta", dirigido pela Sofia Coppola, ficou mais insuportável ainda. Insiste em pintar meus cabelos de rosa e quer me vestir feito gente, com roupinhas cheias de "frufruzinhos". Sai pra lá, Satanás!

    segunda-feira, abril 16, 2007

    1001 golins dágua, 4ª visita

    Depois de mais um gole, a pomba começou a contar a seguinte história:
    "Havia dois homens, conversando. Um era recém-casado. Conhecera a esposa e, três meses depois, moravam juntos. A vida havia sido perfeita até aquele momento, quando ele teve o primeiro choque no casamento.
    "O outro homem era casado há mais de 15 anos e dizia que o casamento era assim mesmo e que, mesmo depois de tanto tempo, ainda era possível haver choques daquele tipo em uma união. Não dizia isso para consolar o primeiro, e sim para lamentar o ocorrido em sua casa.
    "Os dois conversavam sobre submarinos..."
    A pomba levantou vôo e gritou "se ficou curioso, espere até nosso próximo encontro!"

    domingo, abril 15, 2007

    Edição extraordinária

    A gente não tem publicado no domingo, mas hoje eu tenho uma propagandinha pra fazer: O projeto Releituras me selecionou como 'novo escritor' da quinzena. Achei chique e fiquei todo prosa!
    Confiram: http://www.releituras.com/index.asp

    sábado, abril 14, 2007

    Mineirice


    Sempre me perguntam de onde eu sou. Meu sotaque é mineiro, sem dúvida, mas o semblante, europeu. Tenho aquele jeito brejeiro de Minas e os traços e cabelos de atriz francesa. Meu pai, mineiríssimo, sempre me chamava de sua "francesinha".
    Dizem que a pessoa é natural da cidade onde viveu mais tempo, pois é lá que se encontra a morada da sua alma.
    Nasci em Curitiba e herdei a pele alva da minha mãe, neta de austríacos. Fui morar em Belo Horizonte com apenas 9 meses de idade e lá vivi durante 32 anos. São Paulo virou minha residência fixa não faz nem 3 anos. Não há como negar: sou mineira mesmo!
    E, como boa mineira, amo o azul da Serra da Piedade, o verde da Serra do Cipó, as igrejas e a arquitetura de Tiradentes e de Ouro Preto, os poemas de Adélia Prado e Carlos Drummond...
    Ouro Preto, então, é o lugar onde procuro minha alma, quando anda perdida por aí.
    É só chegar lá e buscar a danada, que pode estar escondida num banco de uma praça qualquer, numa margarida na beira do caminho, numa loja de pedras semi-preciosas, em um delicioso doce mineiro ou num amor feito com delicadeza nas pousadas coloniais da cidade.
    Acho que foi em Ouro Preto que Adélia escreveu esses versos, falando de amor sem pudor nenhum, inspirada pela bruma prateada que paira sobre a cidade, permitindo a vista apenas dos morros e das igrejas mais altas:

    "Vamos dormir juntos, meu bem,
    sem sérias patologias.
    Meu amor é este ar tristonho
    que eu faço pra te afligir,
    um par de fronhas antigas
    onde eu bordei nossos nomes
    com ponto cheio de suspiros" (Psicórdica, in Adélia Prado, o sempre amor).

    Nada mais mineiro...

    quinta-feira, abril 12, 2007

    Pausa para nossos comerciais

    Seu cartão de crédito te dá um limitezinho de R$1.000,00 e quarenta dias para pagar? Você achou bom porque ele te deu isenção de taxa e um cartão adicional? E eles te disseram que a grande vantagem era que você podia escolher o dia do vencimento? Ficou feliz, é, bocó? Então espere para conhecer o AnGuCard®!!!
    O AnguCard® é um cartão em que você só paga quando quiser! Não quer pagar esse mês? Não paga! Não quer pagar esse ano? Não paga! Você não precisa comprovar rendimento, não precisa ter bons antecedentes e o limite de crédito? Tá preparado? O limite é de R$500.000,00! Sabe aquela Mercedes que você sempre sonhou? Bota no AnGuCard® e vai viver seu sonho, rapaz! Quer comprar estola de pele francesa direto na fábrica? Usa o AnGuCard® e vai viver seu sonho, assassina de bichinhos inofensivos!

    É! Com o AnGuCard® é assim! Você, sem limites!

    Para conseguir o AnGuCard® também é muito simples. Basta seguir os seguintes passos:
    1. Vá a um banco concorrente e faça um seguro no valor de R$1.000.000,00 em nome do AnGuBank Corporation and Almaration.
    2. Deixe a apólice conosco e vai curtir a vida!
    3. Quando o valor do seu cartão* chegar a R$500.000,00, nós damos um jeitinho de receber o seguro!

    Não podia ser mais fácil!

    E, com AnGuCard, a opção é do freguês! A execução é você quem escolhe! É só discar para o AnGu Fale com a Gente (e com Deus, em seguida) e teclar sua opção:
    #1 Morte a facadas
    #2 Morte atropelado(a) por uma Mercedes
    #3 Morte enforcada(o) com uma estola de peles
    #4 Morte sendo forçado a assistir monólogos do Woody Allen
    #5 Morte com requintes de crueldade, executada pelo Jubileu

    AnGuCard®, o cartão que não te executa na justiça - te executa atrás do muro da igreja!

    *taxa de juros de 37% ao mês

    terça-feira, abril 10, 2007

    O Diário de um Cão Coprófilo!


    Vocês já viram nas livrarias o livro "Não sou uma só: o diário de uma bipolar, de Marina W"?
    Pois preparem-se! Eu também não sou só um poodle bonitinho e branquinho de madame...
    Vou lançar um manual recheado com a mais pura escatologia canina: o Diário de um Cão Coprófilo. É isso mesmo!
    Vocês sabem que moramos na mesma casa: eu, um gato esnobe, minha mãe querida e meu pai adotivo. Meus pais vivem mudando a ração do meu irmãozinho, o que é um prato cheio pra mim, já que rações de gatos são mais saborosas e proteicas que as rações para cães.
    A iguaria sai quentinha do fiofó do meu irmão e meu maior prazer é comê-la imediatamente. Mas meus pais andam preocupados e enojados com meus hábitos alimentares e, tão logo meu irmão-gato faz seu cocôzinho diário, um corre para catar a "M..." e o outro para impedir minha refeição preferida.
    Que saco, viu? Já sou adulto o suficiente pra decidir o que comer e eles não entendem isso!!!

    segunda-feira, abril 09, 2007

    1001 golins dágua, 3ª visita


    Ontem, em pleno domingão, a pomba voltou a me fazer uma visita. Como de costume, tomou seu golim d'água, sentou-se no parapeito da janela e contou:

    Era uma vez um casal com vacas gordas. Nesse tempo, para se divertir nos fins de semana, eles iam ao shopping, onde passeavam pelas lojas, compravam livros, cd's e roupas, pegavam um cineminha e, depois, um jantar romântico com vinho importado.
    No entanto, as vacas, influenciadas pelo mundamoda ou por uma loucura qualquer, adquiriram anorexia. E o casal teve que se adaptar à nova realidade.
    Hoje em dia, nos domingos à tarde, eles vão para um hipermercado. Folheiam o livro do Abílio Diniz, vasculham as bancas de cd's por 9,99 e as roupas de marca LaCuesta. Assistem, sentados no chão, ao dvd que deixaram como demonstração na TV de 29 polegadas e, no final, comem um sanduba de frango ou atum (eles nunca conseguiram distinguir um do outro), acompanhado por um refrigerante de marca genérica, ou, quando tem o que comemorar, um vinho arrentino que vem embalado em um tetrapack...

    Enquanto eu morria de rir com a história, a porta da casa se abriu, espantando a pomba. Eram meus pais, chegando, felizes, do Extra 24 Horas...

    sábado, abril 07, 2007

    "Dentro da Noite Veloz"...


    Pra quem não sabe (eu só descobri isso ontem), "Dentro da Noite Veloz" não é apenas a parte final da música "Vambora", cantada pela Adriana Calcanhotto. É o nome de um dos livros de poesia mais belos do poeta Ferreira Gullar, escrito entre 1962 e 1975, durante a Ditadura Militar, quando vários de seus amigos estavam presos e ele próprio se encontrava exilado na Argentina e outros países, clandestino, sem documentos.
    Descobri esse livro graças ao meu amigo Sandro Serpa, um apaixonado por poesia como eu. Ele me emprestou o livro Toda Poesia, coletânea onde se encontra esse livro e vários outros, escritos em 30 anos de poesia por Gullar.
    Fiquei tão tocada com o viés político e social do livro que quando o Augusto chegou em casa, eu disse a ele: "Vinicius de Moraes morreu. Agora quem vive em mim é o Ferreira Gullar". E olhem que sou tarada pela obra de Vinicius...
    Deixo aqui um trecho do poema intitulado 'Maio 1964' (ano do golpe militar), que foi um dos que mais me emocionou 'dentro da noite veloz':

    "Mas quantos amigos presos!
    quantos em cárceres escuros
    onde a tarde fede a urina e terror.
    (...)
    Estou aqui. O espelho
    não guardará a marca deste rosto,
    se simplesmente saio do lugar
    ou se morro
    se me matam.
    Estou aqui e não estarei, um dia,
    em parte alguma.
    Que importa, pois?
    A luta comum me acende o sangue
    e me bate no peito
    como o coice de uma lembrança".

    quinta-feira, abril 05, 2007

    Por falar em línguas...

    Só é possível filosofar em alemão, mas para ser melancólico, é preciso usar o francês ('ne me quitte paaaaas!!!'). Para falar de amor, é necessário ser bilingue: o italiano, para ser romântico, e o espanhol, pra levar a amada para cama. E o inglês serve, basicamente, para perguntar "how much is it?".
    Já o português? Bom, para mim é claro: o português deve ser usado para o sarcasmo...

    terça-feira, abril 03, 2007

    O calor e o fedô venceram!!!


    Minha mãe tá sem trabalho, com o orçamento doméstico super apertado, mas decidiu pagar R$ 28,00 por uma tosa decente e completa pra mim num pet shop.
    Ela bem que tentou usar a tesoura de casa pra me podar, mas os meus pêlos ficaram embolados e só mesmo um profissional do ramo pra dar jeito.
    E dar banho em poodle em casa é uma tarefa ingrata pra ela e muito sofrida pra mim! É preciso ter shampoo e condicionador próprios pra cachorro e secador de cabelos especial, daqueles que só os salões de beleza (e pet shops, é claro) têm. Sem falar na escova de cabelos pra dar conta dos meus cachos...
    Na verdade, tô achando ótimo ficar com apenas 1 cm de pêlo. Não agüento mais esse calor, fico me coçando o tempo todo e meu pai nem chega mais perto de mim pra fazer carinho...
    Será que estou fedendo tanto assim?

    Greve de silêncio

    Esse post é só para informar que o Jubileu se recusa a escrever hoje. Isso se dá porque ele havia se proposto terminantemente a não fazer um exame de urina e nós, enfim, o levamos para fazer o exame via ultrassom. Deram uma agulhada na barriga dele e tiraram a urina direto da bexiga.
    Nem preciso dizer que ele espumou de ódio e ameaçou fazer as geleiras dos pólos derreterem, nevar no verão, fazer calor no inverno e outras catástrofes tais.

    Ou seja, se um dia o Rio de Janeiro desaparecer embaixo das águas, não foi o efeito estufa. Foi a fúria de Jubileu...

    sexta-feira, março 30, 2007

    Salvem o Planeta!!!


    Sábado à noite.
    Angus em discussão profunda sobre a degradação do meio-ambiente e o futuro da vida no planeta Terra.
    - Nós perdemos o contato com a natureza e achamos que não precisamos dela pra sobreviver. Acho que não dá mais tempo, diz Ana. O planeta vai morrer...
    - O planeta não, Ana! Nós, humanos, é que vamos morrer! Outros seres vivos, como as baratas, por exemplo, adaptam-se muito bem ao calor e podem resistir. Os humanos vão ser extintos, como os dinossauros, mas não a vida em sentido amplo, retrucou Gu.
    - Ah, sei. Segundo sua teoria vão ficar apenas as baratas, os vírus e as bactérias habitando o planeta...
    - Vírus não é forma de vida, no sentido biológico, pois não tem sequer uma célula. Eles são, no máximo, um código genético ambulante. Mas as baratas e as bactérias são seres vivos sim e, no futuro, vão estar discutindo, num sábado à noite, que um tal "efeito-estufa" provocou tanto aquecimento no planeta Terra que os seres humanos não sobreviveram.
    - Então vamos todos morrer tostados, daqui a uns 60 anos?
    - Nós não, Ana. Mas nossos filhos sim, concluiu Gu.
    - Ótima essa estratégia que você arrumou pra me convencer a engravidar...

    quinta-feira, março 29, 2007

    Dificuldades

    Bom, é difícil tentar escrever duas vezes por semana. Às vezes, bate aquele bloqueio, que é uma espécie de prisão de ventre mental gigantesca. Nessas horas, a gente deseja muito ser o Zé Simão, esse gênio do humor, que consegue criar aquelas tiradas ótimas!... E repeti-las por dias e dias a fio...
    O bloqueio mental funciona assim: imaginem alguns bilhões de neurônios pensando que é domingão. Completamente absortos em seus próprios pensamentos até que um deles, por azar, olha o relógio e "puuuuutz! Hoje é dia de post!!!"
    Imediatamente, todos os neurônios entram em pouvorosa e, para escapar da tarefa, fingem estar fazendo qualquer coisa:
    - Eu? Tou batendo o coração!
    - Mas isso não é tarefa da coluna?
    - Bem, é... Mas ela anda confusa depois de tanta ioga e, no mais, com essa paixonite crônica pela Ana, o coração anda exigente...
    Enfim, um grupo de neurônios é achado sem fazer nada. Sobra para eles escrever o post. Mas eles, obviamente, são os mais lerdos de todos (não à toa, foram pegos sem fazer nada...). A batalha prossegue, agora focada nesse pequeno grupo:
    - Escreve qualquer coisa aí! Vamos ficar livres disso logo!
    - Mas escreve o quê?
    - Qualquer coisa! Ele já fez post sobre pantufas! Ele aceita qualquer coisa!
    No final, exauridos, mas orgulhosos, eles me saem com essa porcaria, aqui.

    E eu, na falta de tempo, publico...

    Arquivo do blog