Agora, só no twitter...

    follow me on Twitter

    terça-feira, fevereiro 21, 2006

    O Beijo

    Acabei de participar de uma oficina de poesia na Casa das Rosas. O curso, chamado Tudo Ao Mesmo Tempo Agora, é dado por Fabiano Calixto, poeta dos bons. Hoje foi a última aula, mas a oficina vai se repetir daqui a quinze dias. Adorei participar e aproveito esse meu espaço pra divulgar o curso e o lugar, que é lindo de morrer (uma casa de época, com um jardim bárbaro na frente, cheio de tapiaria, em plena Avenida Paulista!).
    A oficina é bem prática e os alunos são estimulados a fazer poesia o tempo todo. Numa das aulas, o professor escolheu três palavras (estátua, flores e amor) para que fizéssemos um poema ali na hora. A rima era opcional e o estilo livre. O meu fruto do exercício é esse que aí vai:

    foto retirada de www.circuitoabc.com.br


    O BEIJO

    O amor transborda
    Da estátua de mármore
    E o beijo se esforça
    Mas nunca acontece
    Quantas vezes Rodin levou
    Flores pra Camille Claudel?

    19 comentários:

    Ana Grein disse...

    Gente, essa escultura que eu coloquei aí é do Rodin mesmo, só que se chama 'Eros e Psiquê' e não 'O Beijo', que também é dele. Nas duas esculturas, o beijo não acontece, mas só nesta é que dava pra ver nitidamente. Então, faz de conta que essa aí é 'O Beijo', tá?

    márcia disse...

    ana, o tema rodin e camille me ronda, vc sabe. é uma mitologia minha. virou. entre as minhas coisas que te mandei, está aí um conto sobre camille, que tem um espírito inquisitivo meio parecido com seu poema. desnecessário dizer que fui "vê-lo" e "vê-la" em paris. assisti tbem, ainda em paris, um documentário gigante sobre ela, e fiquei bastante emocionada, com reconstituições de fotos, textos, cartas e memórias, além de alegorias de paul claudel sobre a irmã.

    11 anos antes deste meu momento "com eles", ainda em 1994, sugeri que o cartaz de nosso espetáculo, "bodas de sangue", em bh, fosse uma imagem de "o beijo". e foi, acabou sendo. ficou muito bonito, com um filtro vermelho. minha mãe o tem emoldurado no meu antigo quarto, na casa dela. em tempo: eu fazia "a noiva", vc conhece o texto?

    san ;-) disse...

    que linda a poesia, ana!

    até eu alcancei! isso eh um mérito :-D

    vanessa disse...

    eana, que bom que você gostou do curso, me sinto um pouco responsável por isso ;-)

    só para te dar mais o gostinho: uma amiga minha andou cursando algumas oficinas destas, acabou fazendo contatos e está prestes a lançar seu primeiro livro pela cosac&naify (que não é pouca coisa!)

    quanto à sua poesia adorei a contraposição (e ao mesmo tempo o prosseguimento da idéia) entre os quatro primeiros versos e os dois últimos.

    pelo que li aqui do lado, você já leu o livro que te dei???

    vanessa disse...

    ógusto: amei o título do livro que você leu: "vou cuspir no seu túmulo". muuuuito bom, hahahahahaha

    essa foi a primeira vez que você leu "o retrato..."? eu li faz um tempo, acho que deveria reler. acho que faz diferença lê-lo depois dos 30 (não que eu tenha essa idade, claro...)

    Augusto Galery disse...

    É... O título é melhor que o livro... E eu, como fã do Vian, fiquei frustradíssimo...
    Já o Wilde é muuuito bom! Acho q, se vc ler de novo, não vai ter muitas dúvidas sobre as metaforas... Mesmo ainda não tendo chegado aos 30!

    vanessa disse...

    o problema é que estou longe demais dos 30...

    Ana Grein disse...

    Marcinha, não sabia dessa sua paixão por Rodin-Camille não...
    Eu tbém sou apaixonada pelos dois, mas ainda não tive o doce privilégio de vê-los em Paris. Já vi o filme sobre a vida da Camille (morri de chorar) e uma exposição dela no Museu da Pampulha, lá em BH, que foi muito, muito linda! Eles colocaram uns poemas, em cartazes bem grandes, ao lado das esculturas dela. Ficou show! Quanto ao texto, não conheço não. Depois vc me passa? O conto que vc falou está no livro Matéria?

    Ana Grein disse...

    Pois é San, poesia ao alcance de todos! Que bom que vc gostou! E vem mais por aí, viu?

    Ana Grein disse...

    Van, sinta-se responsável sim! Estou amando o curso e o livro!!! O curso vai continuar, com outro módulo, e pretendo fazer de novo, porque é bem prático e interessante. O professor é muito bom de serviço e um amor de pessoa!
    Ainda não acabei de ler o livro não, porque estou numa correria danada. É que todo santo dia o Gu me pergunta o nome de um livro que estou lendo pra pôr na lista do blog...Então, mesmo se eu ainda não tiver acabado, ele põe o nome do livro assim mesmo!

    márcia disse...

    hahahahahaha é aninha, tá lá no matéria. dá uma olhada nele e depois no "a demora em cada um de nós", que acho que ce vai gostar.

    ah, esse texto é um clássico do lorca, vou ver se baixo pra vc da inter e te mando, eu gosto muito.

    ah, esqueci de contar um episódio engraçado. vi o filme quando eu tinha 17 anos (vc tbem neh?). daí fui logo depois numa calourada na fafich (ai ai fafich, bons tempos), enfiei a cara na cerveja e no vinho, e na época eu tinha uma namô chamado vinícius, que é meu grande amigo até hoje. pois bem, eu, bem louca, resolvi pegar um extintor de incêncio e saí mandando espuma em todo mundo (HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA)
    não pergunte meus motivos - como diz o sandro, não se pergunta este tipo de coisa a um artista (bêbado), hahahahahahahahahaha.
    mas o caso é que o guardinha da fafich foi lá me dar uma dura, daí tirou um bloquinho do bolso e perguntou: qual o seu nome?
    eu: "camille (soluço) claudel, c-a-m-i-l-l-e, com dois eles viu?"
    ele: "qual o seu curso?"
    eu: "uai, belas artes"
    hahahahahahahahahhahaha
    daí todo mundo estourou de rir e o guardinha me tomou o extintor e saiu puto, e eu fiquei puta soluçando sem meu extintor, hahaha.
    não é tudo? eu estudava direito nesta época na ufmg e jornalismo na puc. (tudo, menos belas artes, hahahaa)

    márcia disse...

    COMPLEMENTAÇÃO: botei o vinícius no meio do rolo e esqueci de contar o motivo. é que eu gritava: "E ELE É O RODIN!" pro guardinha, hahahahahahahahhahaa

    Augusto Galery disse...

    Pô, Ana, como é que você conta o golpe do livro assim? Tou me sentindo pelado! E ridiculamente peludo! E plageando a resposta que o Ricardo me deu no blog dele!!!
    Mas vc, tb, lê as poesias fora de ordem, de vários livros ao mesmo tempo, e várias vezes a mesma poesia antes de ler o resto! Nem vc mesma sabe qdo já acabou de ler um livro!...

    márcia disse...

    deixa ela ser randômica!!!!! humpft.

    Augusto Galery disse...

    Eu deixo!!!
    Só tou explicando pq eu não posto livros só qdo ela acabou de ler...

    vanessa disse...

    ah, augusto, mas ler poesia é assim mesmo, sem ordem. ou melhor, com a ordem da vontade... (e olha que eu sou da prosa...)

    Ana Grein disse...

    Pois é gente, qdo me dá aquele ataque poético, eu baixo TODOS os meus livros de poesia da estante e leio uma poesia de cada...Bebendo uma cerveja gelada ou um bom vinho, é claro! E me surpreendo ao descobrir uma poesia que eu ainda não tinha lido ou não me lembrava! Fica tudo com cara de primeira vez!hahahahahahaha!

    Ana Grein disse...

    Ah, antes que eu me esqueça: poesia não pode ser manipulada sem álcool. Vinicius de Moraes que o diga. Ele criou até uma tese sobre isso: "o uísque é o melhor amigo do homem; o uísque é o cachorro engarrafado". Eu prefiro a cerveja. Quem sabe ela não resolve namorar o Quindim? Ter mais um cachorro aqui em casa seria ótimo!

    Augusto Galery disse...

    Como eu já disse, seu bando de puxa-sacos de Ana, eu não tava recriminando. Tava explicando pq eu ponho os livros sem ela ter terminado de ler, pq é impossível determinar qdo ela acaba de ler um livro... Humpf.

    E essa papo me deu uma idéia: Vou engarrafar o Quindim! Quem sabe assim ele pára de me morder... :)